sexta-feira, 9 de julho de 2010

A invasão das vacas

Estávamos acampados no Chapéu de Sol, na cidade de Itu, no mês de maio de 2010 e foi exatamente lá que aconteceu a invasão das vacas.
Em uma das noites, por voltas das 3:00 horas da madrugada o Pedro ouviu um barulho estranho próximo a barraca. Como já tínhamos sido assaltados por um meliante felino das redondezas, o Pedro, certo de que o gatuno tentaria uma nova empreitada em nossos mantimentos levantou-se e saiu da barraca, deixando a Camila dormindo inocentemente (provavelmente só a barraca caindo a acordaria rs).
Ao sair da barraca Pedro se depara com algo no mínimo inusitado e preocupante: próximo a barraca (uns 5 metros) estavam 2 cavalos “fuçando” nas latas de lixo. Isso mesmo meus caros, havia cavalos na área de barracas.
Sem ter outra alternativa Pedro espantou os dois com simples “xôs” (palavrinha temida pelos equinos) e assim os dois saíram assustados estrada abaixo. Acompanhando o trajeto dos cavalos com o olhar Pedro viu algo bem pior que cavalos comendo lixo: vacas e bois, vários deles estavam subindo já na área de barracas, e vindo na direção de nossa casa móvel!!!! Pedro tentou espantá-los com a técnica do “xô”, seguido de palmas, tentou até mesmo avaçar na direção do pequeno rebanho, mas não houve êxito em nenhuma das tentativas, pois as vacas continuavam sua marcha em direção a barraca onde Camila dormia alheia a toda situação.
Durante este momento de tensão Pedro teve uma idéia.

Pegou um dos pedaços de lenha dos grandes e começou a atirá-los na direção das vacas alienígenas voadoras* que assustadas com o barulho finalmente fugiram. Mas elas na foram as únicas a se assustar!!! Camila ouvindo o estrondo da lenha batendo contra uma árvore acordou apavorada e assim descobriu que sua barraca quase fora invadida por vacas alienígenas voadoras* campistas.
No dia seguinte as vacas foram presas, mas tiramos uma foto de recordação de nossas “amigas” enquanto pastavam.

Agora, humor à parte, descobrimos que os cavalos e a vacas invadiram a área de barracas pois alguém tinha esquecido a porteira aberta. Além disso, os cavalos foram atraídos pelo cheiro do lixo que apesar de acondicionado em sacos plásticos, não era recolhido a 3 dias.
É sempre importante ressaltar que todo campista deve fazer sua parte, depositando seu lixo já em sacos plásticos nas lixeiras dos campings, mas a administração dos locais deve manter uma rotina de coleta regular, assim evitamos o mau cheiro e a presença de animais que são atraídos pelo cheiro de restos de alimento no lixo. Obviamente que cavalos e vacas não são freqüentes, mas é muito comum em campings a presença de gatos e cachorros do mato a procura de uma “sobra” pra comer.

*descrição das vacas dada pelo Pedro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você já sabe o que eu penso sobre isso, agora é sua vez de deixar sua opinião... deixa de ser tímido, escreve ai, afinal todo mundo gosta de uma conversa, mesmo que virtual!