sábado, 26 de junho de 2010

Itu - Cachaçaria Rainha da Praia

Até hoje estou tentando entender o porque do nome Rainha da Praia em uma cachaçaria que fica no Interior, mas independente de qualquer coisas este é mais um daqueles lugares de Itu que definitivamente vale a pena conhecer!

Localizada na Estrada Parque a Cachaçaria Rainha da Praia é uma gracinha. Desde o atendimento que é sempre impecável (todos os funcionários são muito solícitos e bons de proza), passando pelo visual e sem esquecer das bebidas, este é definitivamente um dos nossos lugares prediletos.
Se você me perguntar o que há lá pra se gostar tanto provavelmente não saberei explicar, mas como a intenção do blog é passar nossa impressão vou fazer um esforço.
O local não é muito grande, então logo na entrada do lado direito tem a entrada para o pesqueiro. Na verdade é um lago que está cheio de peixes. Sabe aquele lugarzinho simples que é encantador? Pois é exatamente assim! Quando o sol bate no lago e nas árvores que o cercam você experimenta uma emoção singular de paz!

Como ninguém é de ferro, tem uma lanchonete ao lado que serve porções de peixes e camarões, assim quem não quer ter o trabalho de pescar come pronto rs!

O pesqueiro funciona de sexta-feira a partir das 15:00 horas até domingo.
Do lado esquerdo tem a loja de bebidas, e ai é que o problema começa, porque ao adentrar o espaço você terá a difícil missão de escolher o que vai levar.
É uma imensa variedade de licores caseiros simplesmente deliciosos. Chocolate ao leite, chocolate branco, menta, café, uva, cereja, morango, figo, meia de seda, banana, pêssego, milho, abacaxi, kiwi e outros que já nem me lembro (já provamos todos e não há um que não gostamos).

Além dos licores tem a cachaça envelhecida em barril que é muito suave, e as curtidas, por exemplo, com canela (esta então, sem comentários)!

Se você quer levar uma lembrança da viagem pra alguém, a Rainha da Praia tem uns kits muito fofos com pequenas garrafinhas tanto do licor quanto da cachaça!
Calma que não acabou, ainda tem vinho, mel, melado de cana e doces típicos (a paçoca caseira derrete na boca).
Este lugar tem o selo Podinha de qualidade rs!

Passe por lá e divirta-se!
Saúde!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Insetos Gigantes

Fica ai uma pitada de bom humor!



Pedro “matando” as joaninhas gigantes na recepção do Chapéu de Sol!

Pretinha


Homenagem a nossa companheira canina Pretinha (não sabíamos o nome dela, então apelidamos sem muita criatividade).
Esta simpática cachorrinha, moradora do Camping Chapéu de Sol nos adotou temporariamente e foi nossa amiga inseparável em todos os nossos passeios pelo local!

Itu - Camping Chapéu de Sol

Este Camping é sempre muito bem recomendado por diversos blogueiros e orkuteiros, e nós assíduos freqüentadores dos campings de Itu ainda não conhecíamos, mas estávamos decididos a reverter esta situação.
Antes de sair de casa fizemos algumas pesquisas na net e descobri que o Camping possuía piscina aquecida, o que é um grande ponto favorável nestes dias de Outono. Outro ponto positivo é que o camping fica aberto durante a semana.
Então, mal retornamos de Brotas, já estávamos com as tralhas prontas e na estrada para Itu. A viagem até Itu é curtinha e já bastante conhecida de todos nós. Chegamos no Camping Chapéu de Sol por volta das 19:00 horas.
RECEPÇÃO
A recepção fica aberta todos os dias até as 23:00 horas.
Na chegada preenchemos a ficha e a funcionária nos mostrou em um mapa as áreas disponíveis e nos deu um número a ser pendurado na barraca.
Uma grande vantagem do camping é que o pagamento pode ser efetuado com cartões.
Assim partimos para a montagem de mais um acampamento.
ÁREA DE BARRACAS
Por indicação da funcionária acampamos na primeira área de barraca, bem ao lado da quadra de tênis. Aparentemente é a área mais plana e bem iluminada.
Fora ela havia no camping mais 2 áreas, mas ambas estavam em mal estado de conservação. A área do lago aparentemente está desativada, pois a porteira estava fechada, o mato alto e havia cavalos pastando por lá. Além disso, o banheiro mais próximo do lago não é muito perto.
A área escolhida por nós é mista, existindo partes planas e declives. Algumas árvores de raízes grandes impedem a montagem das barracas em determinados pontos.
O local disponível para montagem de barracas não é dos maiores que já vimos.
Existem diversas lixeiras colocadas na área de barraca, lembre-se de sempre depositar seu lixo em uma delas!
VOLTAGEM
Em todo o camping a voltagem é 220 V.
Se estiver pensando em acampar lá, vale um lembrete: os pontos de energia não ficam instalados apenas nos postes, procure também nas árvores maiores!
Leve sempre sua extensão!
BANHEIROS
Talvez o pior aspecto do camping tenha sido este!
Calma, vamos explicar.
O banheiro existente nesta área de barracas que escolhemos são de uso misto. Isso mesmo, uso misto. Mulheres e homens usam os mesmos sanitários e chuveiros!
São 6 portas, onde 3 correspondem aos sanitários e 2 aos chuveiros. Como acampamos totalmente fora da alta temporada e durante a semana (onde a freqüência de campista é relativamente menor) pudemos utilizar as instalações dos banheiros com total liberdade, agora, imaginem esta pequena estrutura durante um feriado prolongado (carnaval, ano novo) onde os campings costumam lotar!
Já li um relato em outro blog, provavelmente o Camping Total (não tenho certeza) onde ele relata seu carnaval neste local e cita que os banheiros eram realmente insuficientes.
Outra coisa que notei é que durante toda a semana em que estivemos lá a limpeza só foi realizada na sexta-feira, quando todos os funcionários começaram a se mobilizar para receber os clientes do final de semana. Sinceramente a impressão que nos passou é de que estes clientes de final de semana são melhores tratados do que nós campistas de semana!
Além deste banheiro próximo a área de camping, existe um outro, bem maior cuja parte feminina é separada da masculina, porém, fica próximo a área de lazer, bem longe da área de barracas.
LAVA LOUÇAS
É um conjunto com 5 pias, situado bem no centro da área de barracas.
É coberto e possui iluminação.
Mas o que mais chama a atenção infelizmente é o seu péssimo estado de conservação. Apesar de estarem sempre limpos, existe um vazamento na parede, que além de dar um aspecto horrível ao local ajuda a formar poças d’água embaixo das pias. Resultado: lave louças de calças, caso contrário os insetos farão um banquete em suas pernas!

ESTACIONAMENTO
A área de barracas é cercada, portanto, seu carro não poderá ficar próximo a sua barraca.
Mas, ao menos, fica bem em frente, assim você consegue ficar de olho nele.
O ruim é que, como em alguns campings, você terá que fazer várias viagens até seu carro pra descarregar tudo!
Outro aspecto é que existe uma baia (um recuo na estradinha do camping) bem em frente a área de barracas onde os carros devem ser estacionados. Porém, devem caber apenas uns 4 automóveis ali, o restante deve ser estacionado do lado esquerdo na estrada mesmo!
LAZER
Sem dúvida o melhor aspecto do camping é quanto a área de lazer.
Pra quem curti uma bola tem quadra poliesportiva (até com tabela de basquete, coisa rara) e quadra de tênis (muito bem conservada).
Agora se você prefere algo mais molhado tem 2 piscinas (adulto) grandes e 1 pequena com o maravilhoso benefício do aquecimento (e ainda fica aberta até as 22:00 hrs).



Curti um friozinho na barriga? Então aproveita os dois toboáguas!
Tem parquinho e piscina infantil pros pequeninos.
Ta afim de dá um trato na pele? Então pronto, tem sauna também.
Rola até um Paintball por lá!
Agora, nunca vi um salão de jogos (em camping) tão bem abastecido... pra enlouquecer a molecada e os não tão moleques rs (adoramos uma sinuquinha)!
EXTRAS
Deu vontade de comer alguma coisa diferente? Não tem problema!
O camping tem uma belo restaurante e uma lanchonete!
ARREDORES
O camping fica logo na entrada de Itu, pertíssimo do Shopping e do Hipermercado Extra, então se faltar alguma coisa você não precisa ficar desesperado!
Além disso, você está bem perto de vários comércios do centro de Itu.
Uma dica: se deixar pra fazer a compra de mantimentos na cidade procure o Supermercado Paulistão (é excelente e tem ótimos preços)!
Na recepção do Camping você encontra alguns panfletos com roteiros turísticos da cidade e região, aproveite e vá conhecer!

Se você já acampou no Chapéu de Sol ou pretende passar por lá, deixe seu comentário!
Abraços

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Camarões, pesadelo em Cabreúva

Em 2005, em nossa primeira visita ao Camping Cabreúva estávamos apenas em duas pessoas (Camila e Pedro).
Era julho e iríamos acampar a semana toda, assim, planejamos o cardápio com antecedência e resolvemos separar 2 noites para jantar nos restaurantes do Camping.
Como chegamos já no final da tarde e era nossa primeira vez com aquela barraca terminamos a montagem já um pouco tarde e totalmente exaustos, assim usamos nosso 1º jantar no restaurante nesta primeira noite. Aproveitamos um excelente filet à parmegiana no Restaurante do Lago.
Inexperientes em campismo fizemos uso de todos os enlatados e semiprontos que o supermercado oferece.
Em nossa última noite no Camping, já fartos de sopa de pacotinho fomos jantar no Restaurante do Pesqueiro, cuja especialidade são peixes e frutos do mar.
Acostumados as porções servidas no ABC e em São Paulo pedimos 2 casquinhas de siri e uma porção mista de camarão e fritas. Nos arrependemos no exato momento em que o garçom trouxe as casquinhas super dotadas. Elas eram simplesmente enormes (aproximadamente do tamanho de uma xícara de chá grande) servidas em um pratinho e coberto de molho branco com camarões pequenos gratinado com muito queijo (infelizmente só uma foto seria justa com aquela delícia).
Enquanto saboreávamos nosso cascão de siri chegou nossa porção de camarão com batatas fritas. Lutamos bravamente, mas ao final estávamos os dois totalmente “empanturrados” de comida e ainda faltava metade da travessa.
Não gostamos de desperdiçar comida, mas naquele dia não houve alternativa, as 21:00 após uma dose generosa de Eparema para auxiliar na digestão fomos nos deitar, pois não conseguíamos nem mesmo permanecer sentados.

Vale a lembrança deste dia (ou melhor noite) em que fomos vencidos por camarões e fritas!
Divida você também as histórias engraçadas em seus acampamentos!



Miojo com salsicha Carrion

Em dezembro de 2006, estávamos acampados no Camping Carrion para a virada de ano.
Por diferença na agenda do nosso trabalho Camila, Pedro, Beiba e Douglas pegaram a estrada rumo ao Camping Carrion um dia antes que o restante da tropa para conseguirem bons lugares.
Acontece que a mesa e o fogão só viriam no dia seguinte. Acreditávamos que na hora do almoço eles já estariam lá, pois é, mas não estavam rs.
Os 4 “gênios” ao invés de comerem um lanche na lanchonete, resolveram preparar um miojo com salsicha no fogareiro que o Pedro sempre carrega. Como não tínhamos mesa e nem nada para apoiar, fomos preparar nosso almoço em uma espécie de quiosque com várias churrasqueiras de tijolo bem velhas. Este quiosque ficava perto do lago em um canto afastado e quase ninguém ia lá.
Demos uma limpada em um canto e começamos a cozinhar a conhecida iguaria campista quando ouvimos um barulho.
Em uma churrasqueira próxima havia uma pata chocando seus ovos e ficou agitada (acho que estava com medo de rolar uma omelete).
Fica ai a foto da nossa companheira de almoço do famoso miojo com salsicha!


E ai já rolou uma trapalhada na hora da comida durante um acampamento?
Então aproveita e divide isso com os outros campistas!

Macarrão Cabreúva

Em 2007, em uma de nossas acampadas no Camping Cabreúva, sob um frio cortante de julho e uma chuva que já durava 2 intermináveis dias é que nasceu esta pérola gastronômica rs.
Antes que vocês estranhem, a Camila é totalmente louca por champignons e juntamente com o fato de serem mantidos em conservas são nossos companheiros constantes no camping.
Durante uma trégua da chuva resolvemos fazer uma triagem na comida disponível e preparar o almoço.
Como já estávamos lá a alguns dias ficamos com medo que o pedaço de presunto que levamos (mesmo refrigerado) começasse a estragar, então resolvemos usá-lo na comida.
Famintos, pegamos o pacote de macarrão parafuso, o presunto, cebola, os cogumelos, molho de tomate e creme de leite.
Refogamos a cebola e o cogumelo, picamos o presunto em cubinhos e deixamos fritar um pouco. Misturamos o molho de tomate e o creme de leite e misturamos no macarrão cozido. Pra terminar muito queijo ralado.
Não tinha foto do macarrão, só dos esfomeados!


Já criou alguma receita deliciosa de improviso no camping?
Então comente aqui e deixe os outros campistas aproveitarem suas idéias!



sexta-feira, 11 de junho de 2010

Decepção no Camping do Alemão

Se você mora no Estado de São Paulo e gosta de acampar com toda certeza já ouviu falar no Camping do Alemão.
Ícone do campismo nos anos 80 e 90 o local sempre está presente na boca dos campistas mais antigos!
A última vez que a trupe da Podinha esteve acampando lá éramos apenas em três (Lili, Nizi e Camy, ainda um bebezinho).
De lá pra cá se passaram 23 anos, então como estávamos acampados por perto resolvemos fazer uma visita e ver como andavam as coisas por lá.
Sinto em retratar aqui nossa decepção. Um local que outrora era famoso por sua infra-estrutura está totalmente obsoleto e com um aspecto que beira ao abandono!
Chalés e instalações com pintura antiga e desbotada, lava louças quebrados e com um aspecto sujo, parque aquático mal cuidado, isso sem falar na área de barracas, com o mato crescendo.
O Camping fica às margens do Rio Tiête, próximo a uma das estações de tratamento, então, além disso, você sente aquele cheiro de produto químico misturado com poluição e tem a bela vista de sua barraca para as placas de espuma química que bóiam no rio aos milhares!

Peço desculpas pela ausência de imagens, mas como estávamos apenas visitando fotografias não eram permitidas.
Esta postagem não é uma crítica, mas sim um apelo aos proprietários do Camping do Alemão, para que reabilitem o precursor dos campings atuais!

Itu - Fazenda do Chocolate

Como vocês já devem ter percebido temos o hábito de acampar em Itu, interior de São Paulo.
Em uma de nossas visitas a cidade, conhecemos a Fazenda de Chocolate. Trata-se de um local aconchegante na Estrada Parque, que vende doces caseiros (bolachinhas e compotas), tortas doces, espetinhos de frutas com chocolate, biscoitos de polvilho (daqueles que só se encontra no interior mesmo), doces típicos (cocadas, pé de moleque, paçoca, doce de leite), licores, cachaça, vinho, conservas e toda uma gama de produtos. Têm ainda, uma grande loja de artesanato, com muita variedade.










Além disso, é um lugar encantador, onde o visitante é livre pra andar e conhecer a mini fazenda, o viveiro de pássaros (que tem um monte de pavões) e a criação de coelhos.




Pode ainda sentar-se na lanchonete e admirar o lago cheio de peixes e de patos, ou experimentar a sensação de dividir seu lanchinho com um tucano que vive numa árvore ao lado.








 

Para os amantes dos cavalos pode-se agendar uma cavalgada, ou levar as crianças para uma voltinha nos pôneis.
Pra quem curti uma boa prosa caipira, tem o Cumpadrê Timóteo, que conta os “causos” acompanhado de um chá.
Toda a família já conheceu o lugar, e temos excelentes recordações de horas agradáveis.
Se você gosta de docinhos e de animais não perca está oportunidade!
Para mais informações acesse:

Objeto Voador Não Identificado!

Em 2006, fomos passar o Ano Novo em Itu, no Camping Carrion.
Só pra variar chegamos a noite, só pra facilitar a montagem da barraca, e não bastasse isso estávamos montando o gazebo pela primeira vez. Resumindo: trapalhada na certa!
Como desgraça pouca é bobagem (rs) somamos a isso tudo o fato da área de barraca ser muito mal iluminada, então estávamos dependendo da iluminação dos faróis do carro, até que pudéssemos instalar nossas lâmpadas.

Mas, esta postagem não é sobre montagem de barraca no escuro e sim sobre a presença de objetos voadores não identificados!
Depois de muita confusão montamos o gazebo e duas das três barracas, paramos pra fazer um lanche, pois já era muito tarde. De repente, alguma coisa começa a voar sobre nossas cabeças, atrapalhando nossa merecida pausa.
Por mais que tentássemos, não era possível identificar o OVNI, devido ao breu do lugar. E ai voltamos ao azar, porque havia vários metros quadrados para que ele pousasse, mas obviamente escolheu aterrissar bem ao lado de uma mulher que por natureza odeia insetos voadores (medo de enroscar no cabelo).
Quando encontramos o estranho cruzador de ares, surpresa! Era um besouro super crescido!
Acho que se tivesse batido na minha testa ao invés da barraca teria deixado marca rs!
Fica ai o registro do nosso primeiro visitante voador!




Primeiro Acampamento - Camy e Pedro

Em julho de 2005, fizemos nosso primeiro acampamento juntos. Na verdade a Camila só tinha acampado quando era praticamente um baby e o Pedro estava acostumado a fazer camping selvagem. Então esta era nossa primeira experiência em um camping.
Compramos barraca (na época uma Ozark Trail para 6 pessoas, que na verdade acomoda bem no máximo 3), colchão inflável, duas cadeiras de praia (já existentes em casa), lanterna, um fogareiro (que o Pedro tinha a séculos) 1 panela, utensílios básicos para preparar uma refeição uma caixa térmica de isopor minúscula e só. Não tínhamos mesa, extensão, lâmpada, gazebo e todas as outras coisas que só vieram com o passar do tempo. Agora o grande detalhe é que passamos 1 semana assim, improvisando totalmente!


Nossas refeições eram ao ar livre sem nenhum tipo de cobertura, pra cozinhar colocávamos o fogareiro na bancada do lava pratos e usávamos a caixa térmica para apoiar copos e pratos (um de cada vez porque era muito pequena).
Levamos apenas coisas fáceis de preparar, como macarrão instantâneo (óbvio), salsichas (que fiquei com medo de estragar, então foram consumidas logo), atum em lata, sopa instantânea (comi tanto Vono que nem podia sentir mais o cheiro), pão sovado (no café e na janta) e nossas paixões salame e provolone!



Como tradicionalmente acontece no interior paulista, os dias eram relativamente quentes (lembre-se estávamos em pleno inverno) e as noites muito, mas muito frias. Em várias ocasiões chegamos a colocar 3 blusas e ainda usar o edredom pra se enrolar na hora da janta!
Como não levamos nem lâmpada ou extensão montamos nossa barraca bem ao lado de um poste de iluminação do camping, assim conseguíamos ficar do lado de fora da barraca até mais tarde, lá dentro a lanterna era o suficiente.
Durante o dia fazíamos caminhadas e aproveitávamos as piscinas. Fizemos amizade com um casal que estava em um chalé então nossas tardes eram regadas a bate papos sobre viagens, mas durante a noite eles se recolhiam ao quentinho do chalé e nós voltávamos para nossa deliciosa, espaçosa e gelada barraca rs.





Aproveitamos que o camping dispõe de 2 restaurantes e por duas noites jantamos por lá, mas para saber o que aconteceu você terá que ler CAMARÕES – PESADELO EM CABREÚVA!
Pra entreter nossas noites visitávamos o salão de jogos e tentávamos jogar sinuca.
O legal do Camping Cabreúva é que ele é bem grande então não nos entediamos facilmente.





Foi lá que vimos uma família acampando com toda infra-estrutura e decidimos propor ao restante da tropa um super acampamento em família. Em uma área de barracas logo abaixo da nossa, havia o pai e duas crianças acampando a dias, e achamos super legal a interação deles. O pai todo cuidadoso tomou precauções para que seus filhos aproveitassem o camping ao máximo e que aquela experiência não fosse negativa. Como crianças se cansam facilmente das coisas, havia na barraca todo um suprimento de jogos de tabuleiro e uma televisão com DVD, assim a noite eles assistiam seus filmes infantis enquanto pai preparava um muito cheiroso jantar. (eu, Camila, fiquei encantada com o jeito deles acampar, e decidi que dá próxima vez teria uma estrutura melhor pra curtir mais o acampamento, com exceção da televisão que acho desnecessário).
O importante é que mesmo sem muita coisa, passamos 7 dias deliciosos por lá e desde então nos tornamos campistas assíduos!
Como acampamos freqüentemente no Cabreúva, deixaremos nossas impressões sobre as instalações para outra oportunidade. Este texto tem como intuito demonstrar que uma primeira experiência positiva no campismo pode levar a um relacionamento feliz e duradouro com as barracas!

E você quer nos contar como foi seu primeiro acampamento?
A experiência foi boa ou ruim?
Participe nos comentários ou se quiser mande o texto e fotos para o nosso e-mail que postamos aqui sua história com os devidos créditos.

Ajude partilhando suas experiências para que cada vez mais pessoas descubram as maravilhas do campismo!

Camila e Pedro






quinta-feira, 10 de junho de 2010

Santos - Monte Serrat


Quando retornamos de Brotas resolvemos fazer um passeio que a tempos estávamos adiando. Já tinha ouvido alguns comentários sobre o local que me deixaram doida para conhecer, então aproveitamos um lindo dia de sol e fizemos uma viagem rápida até Santos para conhecer o Monte Serrat.
Pra quem não conhece o Monte Serrat recebeu este nome porque foi erguida lá em 1589 uma capela em homenagem a Nossa Senhora do Monte Serrat. Em 1614 ao avistarem navios de corsários, parte da população subiu ao Monte refugiando-se na capela chamando a proteção da Santa. Enquanto os invasores armados, empreendiam marcha nas encostas do monte, ocorre um desmoronamento e parte deles foram soterrados e a outra parte fugiu, a população atribuiu o fato a um milagre da Santa, que atualmente é a padroeira da cidade. Em 1923 iniciam as obras de construção do cassino e do sistema do bonde funicular, o cassino possuía salões e restaurantes que eram considerados os mais requintados de Santos. Atualmente o Complexo Turístico do Monte Serrat comporta o mais variado tipo de eventos, além de possuir uma das mais belas vistas da cidade.
Para chegar ao topo do monte você pode encarar os 415 degraus da escadaria ou usar o bondinho. Em todo o trajeto da escada há 13 monumentos simbolizando a via crucis! Se optar pela subida de bondinho terá que pagar o ingresso de R$ 18,00 por pessoa (achei um pouco caro justamente porque a subida é relativamente rápida, mas a vista compensa).


Neste passeio estávamos em 4 pessoas, Camila, Pedro, outra Camila e a pequena Beatriz de apenas 6 meses (as duas últimas moradoras recentes de Santos que ainda não tinham conhecido o local!

Saímos logo cedo para o passeio, tivemos alguma dificuldade para encontrar a entrada do cassino, pois o GPS nos mandava para um endereço diferente, mas é só seguir as placas para o centro histórico que não tem erro!
Chegamos, compramos nossos ingressos e esperamos a partida do bondinho, que acontece a cada 30 minutos. Como já disse o passeio monte a cima é rápido, mas muito interessante!



Já lá em cima, adentramos o prédio do antigo cassino. Logo na entrada há um grande salão onde está instalada uma cafeteria. Janelões estão instalados em todo o local e de lá já se pode apreciar a bela vista do oceano e do porto!



Ainda no primeiro andar existem diversas fotos da época da construção do edifício e de seu funcionamento.
Obviamente que o Pedro fez questão de tirar algumas fotos do sistema de cabos do bondinho!

Na escada que leva ao segundo andar quem tirou uma foto satisfeita foi a Camila, assumidamente cocólatra!

No segundo andar havia um lindo salão de festas, usado nos eventos que ocorrem no local e a saída para o mirante, onde você vai apreciar uma vista panorâmica da cidade e da Serra do Mar!





Saindo do prédio do cassino, você encontra a capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, que estava sendo restaurada, mas que nem por isso deixou de nos fornecer uma linda imagem!

Se você estiver em Santos ou está procurando um passeio rápido sem barraca esta é uma excelente sugestão!
E você já esteve no Monte Serrat?



Um abraço
Camila e Pedro